INSTRUMENTOS MUSICAIS

Instrumentos de Cordas

INSTRUMENTOS DE CORDAS

São instrumentos que soam através da vibração de cordas. Na organologia, parte da música que estuda os instrumentos musicais, são chamados de cordofones.

 

Os instrumentos podem ser de cordas:

- DEDILHADAS, quando as cordas são tocadas com as mãos e podem ser tocados com ou sem palheta;  

- TANGIDAS ou BELISCADAS, quando as cordas são beliscadas com os dedos ou tangidas com plectro;

- PERCUTIDOS, quando as cordas são percutidas com martelos ou baquetas;

- FRICCIONADAS ou DE ARCO, quando suas cordas são tocadas pelo arco, geralmente feito de madeira e crina de cavalo.

 

 

CORDAS DEDILHADAS

 

VIOLÃO

É considerado o instrumento nacional da Espanha, porém, não se sabe ao certo se ele foi introduzido na Europa Medieval pelos árabes ou se era nativo do continente. Existe desde o Renascimento, mas ganhou a forma que nós conhecemos apenas no século XIX. Pode ser tocado com ou sem palheta.

 

O termo violão só é usado na língua portuguesa. Nas outras, o nome é guitarra, o que para nós, é o instrumento elétrico.

 

O violão é constituído por uma caixa de ressonância de madeira com fundo chato, em forma de oito, e um braço dividido em trastes em cuja extremidade suas seis cordas são fixadas e afinadas por cravelhas.

 

O violão no Brasil

Alguns historiadores acreditam que os jesuítas trouxeram o violão para utilizá-lo na catequização dos índios. Outros acreditam que o violão foi trazido ao Brasil pelos ciganos, expulsos de Portugal pela Inquisição, no séc XVI. O fato é que o violão, que já foi considerado no Brasil “coisa de vagabundo”, hoje é um dos instrumentos mais populares e valorizados do nosso país.

 

 

HARPA

Existem vários tipos de harpas, elas se diferem pelo formato, quantidade de cordas, afinação, na forma como são tocadas, entre outras coisas. A harpa é tocada com os dedos. 

 

Harpa na Antiguidade

A harpa é um dos instrumentos mais antigos que conhecemos. Sabe-se através de fábulas épicas, poesias e trabalhos de arte, que as harpas existiam séculos antes de Cristo, na Babilônia e Mesopotâmia. Foram encontrados desenhos de harpas na tumba do faraó egípcio Ramsés III (1198-1166 a.C.), em esculturas da Grécia antiga e em cavernas do Iraque que datam desde 2900 a.C.

 

 

CORDAS TANGIDAS OU BELISCADAS

 

BANDOLIM

Bandolim é um instrumento dotado geralmente de quatro cordas duplas, com a mesma afinação do violino. A caixa de ressonância tem forma de pêra e fundo abaulado ou chato. O instrumento surgiu por volta do século XVIII e difundiu-se na Itália, onde surgiram vários tipos de bandolim, que se diferem pelo número de cordas e afinação. O tipo de bandolim predominante em todo o mundo é o napolitano. Neles, são usadas geralmente cordas metálicas que se adaptam melhor ao uso da palheta.

 

O repertório existente para bandolim abrange música para concerto e ópera, escrita por compositores como Vivaldi, Telemann, Beethoven, Verdi, Mahler e Schoenberg.

 

O bandolim tornou-se parte integrante da música popular nos EUA, na América Latina e no Japão. No Brasil é muito usado pelos grupos de choro e conjuntos instrumentais e é tocado com palheta.

 

 

BANJO

Originário da África, foi levado para a América pelos escravos negros, no século XVII, e adotado por grupos ambulantes de músicos brancos, no século XIX. Era tocado com as mãos. É muito usado na música folclórica norte-americana e pelos grupos de bluegrass. Posteriormente teve grande importância na música jazz.

 

O banjo foi divulgado no Brasil nos últimos anos da década de 1910, tendo relativa importância nas chamadas “jazz bands”, apenas durante os anos de 1920 e 1930 Nos anos de 1970, voltou a ser divulgado no Brasil. Almir Guinéto foi o responsável pela introdução do banjo no universo do samba. No samba e no pagode o banjo é tocado com palheta.

 

 

CAVAQUINHO

Instrumento de origem portuguesa, som agudo. É conhecido, também como machinho, braguinha, cavaco, etc. É muito conhecido, também, em Cabo Verde e Moçambique.

 

No Brasil o cavaquinho desempenha importante função no acompanhamento de gêneros musicais como o samba, choro, folias de reis, bumba-meu-boi, pastoris e chegança de marujos.       

 

O cavaquinho, com a flauta e o violão, formou o conjunto que deu origem ao choro. É muito usado também nos conjuntos de samba e pagode. Em Portugal ele é tocado com as mãos e no Brasil é tocado com palheta.     

 

 

CORDAS PERCUTIDAS

 

CRAVO

É um instrumento de cordas, que tem de um a três teclados, geralmente chamados de “manuais”. Quando sua tecla é pressionada é acionado um mecanismo que pinça a corda, produzindo, assim, o som. O cravo apareceu pela primeira vez no século XIV, mas não se conhece  seu inventor. 

 

No final do século XVI, o instrumento tornou-se popular e durante o século seguinte, artesãos italianos e holandeses fabricaram cravos simples para acompanhar músicos solistas. Entre os mais famosos compositores de música para cravo destaca-se Bach. O cravo foi o instrumento precursor do piano.

 

 

PIANO

O termo piano é uma abreviação de pianoforte. É um instrumento de teclado e cordas, que são percutidas por martelos. Os primeiros pianofortes surgiram no final do século XVII. O Piano teve papel fundamental na vida musical a partir da segunda metade do século XVIII.   Ele permite a execução de praticamente qualquer tipo de peça da música ocidental, além de possibilitar a exploração da dinâmica na música (piano e forte). 

 

O piano possui recursos que modificam o som produzido: os pedais. O pedal da direita prolonga o som da nota tocada, ainda que o pianista já tenha tirado as mãos do teclado; o da esquerda esquerda reduz o volume.

 

 

CORDAS FRICCIONADAS OU DE ARCO

 

VIOLINO

É o menor e mais agudo instrumento de sua família e corresponde ao soprano na voz humana. O instrumentista  coloca o violino entre o ombro e o lado esquerdo do queixo para poder tocá-lo. A maneira mais comum de fazer as cordas do violino vibrarem é passando o arco transversalmente nelas. As cordas também podem ser postas em vibração se forem dedilhadas com as pontas dos dedos (pizzicato).

 

A nota tocada no violino pode ser sustentada por muito tempo, o que dá a ele uma enorme gama de expressão e intensidade. É usado como instrumento solista, com ou sem acompanhamento, sendo essencial para a música camerística e orquestral há mais de três séculos.

 

O arco é uma vareta de madeira onde são esticados mais de 200 fios de crina de cavalo, e antes de usar o arco deve-se passar uma resina na crina, chamado Breu, para uma maior aderência desta às cordas. O paubrasil é uma ótima madeira para a confecção de arcos.

 

 

VIOLA

É o instrumento contralto de sua família, muito parecida com o violino, porém com o som mais grave e afinação diferente. A viola é um sétimo maior que o violino e ligeiramente mais pesada. O fato das cordas serem um pouco mais grossas que as do violino, confere à viola um timbre um menos brilhante que o violino.

 

 

VIOLONCELO

É geralmente abreviado como “cello” ele ´pe um instrumento mais grave que a viola e tem a maior extensão de todos os instrumentos de cordas, cobrindo quase quatro oitavas. O “cello” teve muitas variações em seu tamanho durante os séculos XVI e XVII. Inicialmente ele era tocado apoiado nos joelhos, até inventarem o espigão, um aparato que sustenta o “cello”, apoiando-o no chão. Por possuir cordas mais longas e grossas, e de ser maior que o violino e a viola, o violoncelo tem um som cheio e penetrante, seu timbre é gloriosamente intenso e rico, as quatro cordas do violoncelo são afinadas uma oitava abaixo da viola.

 

 

CONTRABAIXO

É o maior instrumento da família das cordas friccionadas e tem a sonoridade mais grave. O contrabaixo moderno tem quatro ou cinco cordas. Na orquestra, proporciona força, peso e fundamento rítmico. Raramente é utilizado como instrumento solista. Os contrabaixos tem em torno de 1,80 metros da base ao topo podendo haver variação de tamanho. Constitui desde a década de 20, instrumento fundamental nos conjuntos de jazz. Em geral na música popular, é executado sem o uso do arco, limitando-se o contrabaixista a dedilhar as cordas.

 

livro

Com cerca de 10 mil verbetes, esse dicionário oferece referências acuradas e de fácil acesso sobre os fatos destacados da música.

livro

Oferece abrangente panorama sobre a trajetória desse instrumento no país. Organização de Myriam Taubik. 

site

Site em homenagem ao instrumentista.

site

Site com vida e obra do sambista.

FONTES

Imagens

www.ims.com.br
www.commons.wikimedia.org
www.commons.wikimedia.org
www.femusc.com.br
www.todosinstrumentosmusicais.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

PARA SABER MAIS

PARA VER E OUVIR

HAMILTON DE HOLLANDA

BADEN POWELL

Os Afrosambas

JACOB DO BANDOLIM

Assanhado

Please reload